Você está aqui
Home > Cidades > Faixas elevadas zeraram acidentes

Faixas elevadas zeraram acidentes

Borges com Rua das Fontes – Carlos Borges

Faixas elevadas zeraram acidentes em trechos da Av. Borges de Medeiros e da Av. das Hortênsias

A implantação de faixas elevadas zerou os acidentes de trânsito em quatro trechos da Avenida Borges de Medeiros e da Avenida das Hortênsias, em Gramado. No primeiro semestre de 2017, 13 acidentes foram registrados na Borges com a Rua das Fontes, Borges com Augusto Daros, Avenida das Hortênsias com a Piratini, e João Petry com a João Fisch Sobrinho. Após a instalação das faixas elevadas, no início deste ano, nenhum acidente foi registrado no primeiro semestre de 2018 nestes pontos.

Só no trecho compreendido pela Avenida Borges de Medeiros com a Rua das Fontes e a Rua Augusto Daros, por exemplo, foram 11 acidentes contabilizados entre janeiro e junho de 2017, sendo que oito deles tiveram vítimas com lesões corporais. Uma medida eficaz que tornasse o trânsito mais seguro era um pedido antigo da comunidade e que foi atendido pela Prefeitura e pela Secretaria de Trânsito. Os locais receberam faixas elevadas e não registraram acidentes no primeiro semestre deste ano.

“Antes, quase toda a semana ocorria algum acidente, mas agora está bem mais tranquilo, neste ano não houve nenhum”, contou Danilo Parmegiani, 84 anos, comerciante da Av. Borges de Medeiros.

Nos demais pontos, o relato da população é de que o trânsito ficou mais seguro. “Foi uma iniciativa espetacular, as faixas elevadas trazem muito mais segurança aos pedestres e ainda contribuem para que os carros diminuam a velocidade ao passar na via”, afirma Márcio Gottschalk, 44 anos, funcionário do Armazém 845.

De acordo com o secretário de Trânsito, Luiz Quevedo, as faixas elevadas, construídas na altura do meio-fio, de acordo com as normas do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) ampliam a visibilidade dos motoristas em relação aos pedestres e reduzem a velocidade dos veículos.

Os números nos quatro pontos das faixas elevadas
Antes das faixas elevadas:
13 acidentes no primeiro semestre de 2017

Depois das quatro faixas elevadas:
ZERO acidentes no primeiro semestre de 2018

Notícias Similares

Deixe uma resposta

*

Topo