Você está aqui
Home > Cidades > Hospital Regional de Gramado, para o Brasil e o mundo

Hospital Regional de Gramado, para o Brasil e o mundo

Prefeito Dr. João Alfredo de Castilhos Bertolucci, deputado federal Covatti Filho, ex-deputado Vilson Covatti, o presidente da Comissão Interventora do HASM, Jeferson Moschen, e o diretor de Controladoria do HASM, Ricardo Pigatto foram os precursores em busca  da implantação de um complexo hospitalar de alta complexidade

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, recebeu dois pedidos extremamente importantes voltados ao desenvolvimento ainda maior do  Hospital Arcanjo São Miguel (HASM) e, por consequência, o fortalecimento das ações que envolvem a instituição hospitalar dos gramadenses.

Uma audiência ocorrida na terça-feira, 16/05, em Brasília, permitiu que o prefeito Dr. João Alfredo de Castilhos Bertolucci – Fedoca (PDT), o ex-deputado estadual e federal Vilson Covatti (PP) e o diretor de Controladoria do HASM, Ricardo Pigatto, buscassem  a recomposição do Teto MAC. Além disso,  começaram a tratar da realização de uma proposta que permita regionalizar o atendimento da saúde, dando o primeiro passo para o Hospital Regional de Gramado.

Com determinação e comprometimento, a  comitiva gaúcha foi ousada e aproveitou este momento  para entregar ao ministro Ricardo Barros um pré-projeto do Hospital Regional da nossa cidade – desenvolvido pelo diretor de Controladoria do HASM, Ricardo Pigatto, com o apoio do presidente da Comissão Interventora, Jeferson Moschen, e  do Superintendente Administrativo, Ivan Michelon.

“O Hospital Regional é uma alternativa que busquei tendo em vista a má vontade da Congregação em resolver a a questão hoje observada. Uma tentativa importante  de revelar para a comunidade que temos um plano B, que pode ser o Hospital Regional ou o Hospital São Miguel, como pode ser  qualquer um deles o primeiro plano. Basta que a conjuntura se aproxime ou se distancie do interesse  público. Sabemos que hoje a aquisição do hospital está inviabilizada pelo preço extorsivo estabelecido pela Congregação. Temos que colocar esse valor dentro da realidade, buscando uma negociação. Caso isso não ocorra, tentar negociar através de atos probatórios. Nossa ação no Governo Federal demonstra a preocupação que temos permanentemente  com o atendimento da nossa comunidade e os nossos visitantes com a saúde pública. O primeiro passo para conquistarmos algo ainda maior foi dado. Estamos fazendo a nossa parte”, disse o prefeito.

Em 47 páginas com apresentação de ótima qualidade e acabamento, a descrição detalha desde a história do Hospital Arcanjo São Miguel, passando pelas características sociais e econômicas de Gramado, mostrando o que ocorre no sistema de saúde da nossa cidade e, entre outros assuntos,  identificando também as demandas da Região das Hortênsias.

FOTOS DO MINISTÉRIO: RODRIGO NUNES/MINISTÉRIO DA SAÚDE

“É importante observarmos essa necessidade de buscar um hospital regional, com todos os recursos de baixa,  média e alta complexidade. Isso ocorrendo, Gramado será uma referência junto com os grupos hospitalares da capital, sendo uma alternativa, auxiliando em uma emergência. Eu entendo que, em caso de aprovação do nosso pleito aqui voltado ao Hospital Regional de Gramado, o município pode muito bem ser o hospital regional que possa abrigar essas referências, além do povo gramadense, moradores da região  e turistas. Este local poderá prestar um socorro em nível de todo o Estado na área da Saúde, porque falar em Gramado é destacar qualidade de vida, segurança diferenciada, o turismo e comércio como referência nacional. O que temos que ser referencia em todos os momentos? Saúde. Por isso estamos aqui, defendendo essa proposta, que seja um núcleo regional, estadual, nacional, atendendo a demanda local e regional e para a todos aqueles que aportam a Gramado como um referencial, uma grife no turismo nacional”, destacou Vilson Covatti.

Teto MAC necessita urgente de recomposição

Outro assunto tratou da necessidade urgente do aumento do Teto Municipal da Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar (MAC), que destina-se ao financiamento dos procedimentos e de incentivos permanentes, transferidos mensalmente para custeio de ações de média e alta complexidade, de acordo com a Programação Pactuada e Integrada (PPI).

“ A elevação do Teto MAC  foi reconhecida pela área técnica do Ministério da Saúde, porém ocorreu um contingenciamento muito forte do Ministério do Planejamento em relação a esta  rubrica. Por isso,  buscamos o apoio junto ao ex-deputado Vilson Covatti para que, através dele próprio e do seu filho que é deputado federal, gestionássemos  no Ministério do Planejamento uma possibilidade de que seja observado este caso específico de Gramado e aumentar o Teto MAC. Isso ocorrendo, um grande desafogo financeiro do nosso Hospital acontecerá, porque, caso a solicitação seja atendida  vai acarretar  na conquista de mais do que o dobro de recursos recebidos hoje em dia”, explicou o prefeito João Alfredo – Fedoca, lembrando que no decorrer dos primeiros 4 meses e meio  de governo esteve 3 vezes no Ministério, por reconhecer a importância e as dificuldades que envolvem este assunto.

“É necessário que  todos compreendam que a saúde é um problema nacional, que está atingindo todos os municípios, e Gramado não está longe disso, sem entrar no mérito dos problemas que envolvem a regionalização neste momento. Mas é necessário que os municípios que se beneficiam com a média complexidade que Gramado oferece tenham esse ato de solidariedade e de responsabilidade   com os pacientes que são das suas cidades”, finaliza o Dr. João Alfredo.

O município de Gramado quer garantir a recomposição do teto MAC, com o repasse anual de R$14.471.339,80, mais que o dobro dos valores hoje recebidos, na ordem de R$5,9 milhões, conforme anúncio feito pelo ministro na primeira edição do Jornal do Hospital São Miguel.

“Foi uma ação promovida pelo deputado Covatti Filho, por mim representado, que levou ao ministro a necessidade urgente do aumento dos valores do Teto MAC, para permitir a prestação de serviços de excelência em saúde, tanto para os moradores da cidade e da região quanto os milhares de  turistas que passam por este lugar que é uma grife nacional e internacional, garantindo uma segurança ainda maior de todos em se tratando de saúde. Nós temos que dar  condições para que essas pessoas que residem em Gramado e, além disso, para as que compram   compram e reverenciam Gramado como um ponto turístico do Brasil possam ter, no mínimo, uma segurança de saúde. Isso tem que caminhar lado a lado com o desenvolvimento do turismo”, ressaltou Vilson Covatti.

Ministro do Planejamento recebeu a solicitação

Seguindo a orientação do ministro Ricardo Barros, o deputado federal Covatti Filho (PP), eleito recentemente presidente da Comissão de finanças e Tributação da Câmara Federal, encaminhou o pleito no decorrer da mesma semana ao ministro do Planejamento Dyogo Oliveira. “Faz-se necessário pressionar, para que entendam que Gramado tem esse diferencial e essa demanda é muito importante, mesmo com os acontecimentos políticos  que ocorrem na capital federal”, enfatizou Covatti.

 Hospital é referência para mais de 120 mil pessoas na região

Além do atendimento objetivado comunidade gramadense (34.110 habitantes),  no decorrer dos últimos anos o  Hospital Arcanjo São Miguel (HASM)  tornou-se referência em em atendimentos de UTI, Urgência e Emergência e outros serviços para municípios da Região, entre os quais Linha Nova (1.624), Canela (42.057),  Nova Petrópolis (19.058), São Francisco de Paula (20.540) e  Picada Café (5.182), ou seja, para mais de 120 mil pessoas, em uma região de até 60 Km de distância  de Gramado. O HASM atende também outras cidades do Vale do Paranhana  e dos Campos de Cima da Serra Gaúcha.

 Atendimentos do SAMU e EGR na região tem como destino o nosso  Hospital

O  atendimento do SAMU 192 – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e EGR,  nas rodovias da Região das Hortênsias (ERS-115 e ERS-235) em  uma distância de aproximadamente 100 Km, tem o Hospital Arcanjo São Miguel como destino para casos de  Urgência e Emergência.

De janeiro a dezembro de 2016, foram atendidos 833 casos, enquanto que  no período de 01 de janeiro a 31 de maio de 2017,os registros chegam a 306, um total de 1.139 em 17 meses.

O SAMU 192 tem a sua base junto ao Hospital de Gramado.

Em 2016, 30% dos atendimentos de Urgência e Emergência foram de pessoas de outras cidades

Aproximadamente 55.600 pessoas receberam o atendimento no setor de Urgência e Emergência do Hospital Arcanjo São Miguel, de 01 de janeiro a 31 de dezembro de 2016, das quais, cerca de 30% eram oriundas de outros municípios do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Notícias Similares

Deixe uma resposta

*

Topo